Carga Clínica E Econômica Da Doença - Mapes

  • Home
  • Carga Clínica E Econômica Da Doença
Life Science

HEOR E Pricing

Carga Clínica E Econômica Da Doença

Estudos de carga da doença são essenciais para que haja conscientização sobre o impacto que determinada condição de saúde tem sobre a sociedade. Os resultados dos estudos tratam tanto da carga econômica, como da carga clínica dessa condição e podem ser apresentados a gestores, médicos e outros stakeholders do sistema de saúde para auxiliar a tomada de decisão. Também é possível realizar modelos que preveem o efeito de uma determinada tecnologia sobre a carga dessa condição de saúde.

O estudo de carga clínica da doença é uma análise relacionada à quantificação de anos de vida perdidos ajustados por incapacidade (disability-adjusted life years, ou DALY), associados à doença em questão. A medida de DALY é baseada na premissa de que cada indivíduo apresenta uma determinada expectativa de vida ao nascer, ou seja, número de anos de vida esperados com potencial para estado de saúde ótimo, entretanto, ocorrem perdas de anos de vida (morte precoce) ou redução de qualidade de vida derivada de incapacidade em decorrência de doenças (DEVLEESSCHAUWER et al., 2014a). Assim, DALY é uma unidade que resulta da soma de anos perdidos por morte precoce (years of life lost, YLL) e anos vividos com incapacidade (years lived with disability, YLD), combinando mortalidade e morbidade. Assim, estudos de carga da doença abrangem ampla quantificação do impacto físico, psicológico e social da doença, ou seja, não são restritas somente à ausência ou à presença da doença.

Para avaliação da carga econômica da condição de saúde, são avaliados dois parâmetros; os custos diretos e indiretos dessa condição. Custos diretos médicos são aqueles que se referem à intervenção médica em si, como medicações, cirurgias, internações, consultas, exames etc. Já custos indiretos são aqueles relacionados à perda de produtividade, que são medidos pelo absenteísmo e presenteísmo.