Análise de decisão multicritérios, ATS e processos decisórios em saúde

É sabido que os processos decisórios sobre a incorporação de tecnologias em saúde envolvem diversos atores e variáveis, o que os torna extremamente complexos. A metodologia das Avaliações de Tecnologias em Saúde (ATS) vem sendo utilizada em diversos países, inclusive no Brasil, onde é obrigatória para tecnologias a serem incorporadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Os estudos de economia da saúde e análises baseadas em evidências do mundo real, que fazem parte do chamado HEOR (Health Economics & Outcomes Research) fazem o papel de avaliar os custos frente aos resultados proporcionados pelas tecnologias. Porém, a incorporação de novas tecnologias abrange ainda outros fatores que não custos e desfechos clínicos. Há também dimensões sociais, organizacionais, éticas e legais que devem ser consideradas. Para essa tarefa, existem as Análises de Decisão Multicritérios (MCDA – Multiple criteria decision analysis).

O que é a análise de decisão multicritérios

A análise de decisão multicritérios consiste em um conjunto de métodos para avaliar de forma conjunta dois ou mais critérios. Essa metodologia não substitui revisões sistemáticas, avaliações econômicas ou outros tipos de análises utilizados na tomada de decisão, mas vem a somar a todo esse processo, na medida em que é capaz de reunir evidências disponíveis e percepções de diferentes atores.

Ela é indicada para questões que envolvem decisões interdependentes ou a participação de profissionais de diferentes áreas, além de ser especialmente importante quando há mais de um ponto de vista sobre uma decisão. A MCDA permite montar uma “matriz de desempenho”, capaz de embasar discussões no processo de análise de tecnologias que envolvam diferentes grupos.

Entre os critérios que podem ser avaliados de acordo com essa metodologia estão necessidades médicas insatisfeitas, a carga social da doença e questões próprias dos familiares e dos profissionais de saúde.

Vantagens do modelo de MCDA

A análise de decisão multicritérios busca considerar de maneira equilibrada todas as prioridades, além de possibilitar a participação das diversas partes interessadas, dos pacientes e familiares aos médicos e gestores de saúde. De forma objetiva, essa abordagem metodológica permite que os critérios sejam definidos por ordem de relevância e determina a melhor forma de usar essas informações para avaliar as alternativas em questão. Isso faz com que o modelo tenha vantagens como:

  • Maior consistência e transparência, uma vez que os critérios que influenciaram na decisão estão colocados de forma clara e é mais fácil o acompanhar e visualizar cada etapa;
  • Mais facilidade para atribuir responsabilidades e discutir as perspectivas dos distintos grupos de interesse;
  • Melhor entendimento das partes interessadas sobre as decisões, incluindo a contribuição de cada critério para o resultado e a compreensão das recomendações.

Como e quando pode ser utilizada

A análise de decisão multicritérios não é exclusividade da saúde, mas é utilizada também em tomadas de decisão de setores como energia sustentável, transporte e planejamento energético, entre outros. Para apoiar a área da saúde, o método vem sendo aplicado em algumas situações, a saber:

  • Avaliação de risco-benefício das intervenções em saúde;
  • Nas ATS, ao avaliar simultaneamente múltiplos critérios para embasar a decisão sobre a alocação de recursos;
  • Padronização da priorização por contexto, apoiando gestores na elaboração de planos de investimentos, por exemplo, de planos de saúde e hospitais;
  • Na análise de decisão de portfólio (ADP), para avaliar a probabilidade de sucesso de diferentes projetos;
  • Nas tomadas de decisão compartilhadas (TDC), que envolvem pacientes, médicos e outros profissionais de saúde;
  • Na definição de prioridade do acesso de pacientes a serviços de saúde;
  • A metodologia pode ter um papel importante, por exemplo, quando se trata de doenças raras, uma vez que nesses casos as tecnologias costumam ser de alto custo e a prevalência da doença, baixa. Por outro lado, a carga para o paciente e a família não raro é alta, o que justificaria uma análise que envolva todos esses critérios;
  • Na avaliação de equipamentos médico-assistenciais, quando é importante ir além da análise de aspectos como eficácia, segurança e custo, avaliando também fatores como operacionalidade, usabilidade, inovação, manutenção, curva de aprendizado, entre outros critérios.

Etapas da análise de decisão multicritérios

Existem alguns métodos diferentes para realizar uma MCDA, portanto as etapas do processo podem variar um pouco. Porém, de forma geral, ela deve seguir algumas fases fundamentais:

  • Definir o problema;
  • Selecionar e estruturar os critérios a serem avaliados;
  • Mensurar o desempenho;
  • Atribuir escores às alternativas;
  • Atribuir pesos a cada critério;
  • Calcular os escores agregados, de acordo com os escores e pesos atribuídos a cada critério;
  • Lidar com a incerteza, pois tanto os critérios escolhidos, como as medidas de desempenho e os pontos de vista utilizados são passíveis de alguma incerteza;
  • Interpretar e reportar os resultados.

Para saber mais sobre nossas soluções para incorporação de tecnologias da saúde, baixe o e-book MAPES: Cases &Soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTATO

COMO PODEMOS AJUDAR

Atendimento ágil é marca registrada da MAPES.