A importância da Avaliação de Tecnologias em Saúde

Desafios dos Sistemas de Saúde

O aumento na expectativa de vida e consequente envelhecimento da população somado a predominância de doenças crônicas/degenerativas tem exigido que a área da saúde se atualize e invista cada vez mais em diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças.

Entretanto a realidade da saúde é de constante escassez de recursos. Por isso é importante que qualquer decisão seja precedida de uma minuciosa avaliação de custos gerados e benefícios proporcionados aos pacientes e sistema de saúde.

Economia da Saúde

Esse cenário motivou a aproximação de duas áreas aparentemente sem relação: saúde e economia e dessa junção surgiu a Economia da Saúde, disciplina que já faz parte das grades de diversos cursos relacionados ao assunto e do sistema de saúde em geral.

Embora tecnicamente nova no Brasil, a Economia da Saúde tem se mostrado fundamental para ajudar os gestores da área a avaliar a melhor forma de alocar os recursos disponíveis, buscando otimizar os resultados clínicos, econômicos e humanísticos.

Vários conceitos e técnicas de economia já são utilizados para resolver impasses que afetam o sistema de saúde diariamente. De forma pragmática, para responder se um novo medicamento ou equipamento deve ou não ser incorporado a um sistema de saúde, é preciso saber se o custo global do mesmo, compensa os ganhos que ele proporciona.

A Economia da Saúde na Avaliação de Tecnologias em Saúde

Já a Avaliação de Tecnologia em Saúde (ATS) é o processo de investigação dos resultados clínicos, econômicos e sociais da utilização das tecnologias na saúde, tais como medicamentos, equipamentos, sistemas e procedimentos por meio dos quais o serviço de saúde é prestado. Ela visa analisar as implicações clínicas, sociais, éticas e econômicas do desenvolvimento, difusão e uso da tecnologia em saúde.

Por meio dos subsídios técnicos fornecidos pela Economia da Saúde, a ATS torna viável a análise de aspectos clínicos ponderado por aspectos econômicos de uma tecnologia.

Dessa forma, rompe-se o paradigma de tomar decisões em Saúde unicamente baseada em custos – visando primordialmente economia financeira – ou somente em aspectos clínicos – tornando inviável a sustentabilidade dos sistemas de saúde.

A economia como norteador de decisões

Os estudos econômicos são de grande importância para a gestão de saúde. Os dados resultantes dessas áreas de estudo fornecem indicadores sobre a eficiência e custos das tecnologias de saúde, além de explorar alternativas de financiamento e subsídios para acesso ao mercado.

Saiba mais detalhes sobre as nossas soluções e estudos técnico-científicos para o desenvolvimento e incorporação de tecnologias com melhor custo-efetividade nos sistemas de saúde público e privado. Baixe agora o nosso conteúdo MAPES Cases & Soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTATO

COMO PODEMOS AJUDAR

Atendimento ágil é marca registrada da MAPES.